Des(Ordem) dos Resíduos: Central de Tratamento de Resíduos Ampla (CTR) para a Região Metropolitana de Londrina (RML)

Autores

  • Irene Domenes Zapparoli

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8733.2012v13n1p%25p

Resumo

O presente estudo teve como objetivo identificar as questões socioeconômicas que envolvem a escolha do local adequado para a implantação de uma Central de Tratamento de Resíduos (CTR) Ampla na Região Metropolitana de Londrina (RML). A metodologia, por se tratar de um estudo de caso, consistiu em revisão bibliográfica sobre o tema e na triangulação de dados primários com estudo observacional, entrevistas e questionários. Os dados primários foram levantados com estudo observacional, a partir do qual emergiram as categorias para a elaboração das entrevistas feitas com autoridades municipais e com 21 empresários da RML. Para a população do entorno da CTR ampla utilizou-se questionários, respondidos por 119 pessoas residentes na região diretamente afetadas pelo empreendimento a ser construído. Os resultados acenam para a difícil consideração das questões socioeconômicas na escolha de quem e qual município deve sediar a CTR. Londrina, onde se concentra as atividades econômicas e beneficiaria a classe empresarial, mas possui um “lixão” desativado, CTR particular, CTR municipal e mais esse estudo de implantação da CTR ampla. Além desses, funcionam sem nenhum critério ambiental, sete ecopontos, que passaram a se denominar Áreas de Transporte de Transbordo (ATT).

Downloads

Publicado

2015-07-02

Edição

Seção

Artigos