Sujeito Social na Agricultura Familiar e a Busca Pelo Seu Espaço

Autores

  • Luís Adriano Batista

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8733.2012v13n1p%25p

Resumo

A agricultura familiar no Brasil somente toma vulto no cenário nacional com o seu reconhecimento através da Lei: nº 11.326, de 24 de julho de 2006. Anterior a este período, uma iniciativa governamental por meio de aporte de recursos financeiros pretende alavancar a agricultura familiar; trata-se do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - PRONAF, que, desde a sua formulação, vem passando por uma série de ajustes. Nestes mesmos moldes, começa-se a desenvolver políticas para este setor e para as pessoas que sobrevivem dele, que foram, por longo espaço de tempo, deixadas de lado por uma economia fundida na revolução industrial, mas que sempre tiveram, como base de sustentação, o agronegócio. Tomando por base as comparações de levantamentos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, o presente artigo questiona a efetividade das políticas públicas de fixação do homem no campo.

Downloads

Publicado

2015-07-02

Edição

Seção

Artigos